O surgimento do comportamento Leather

(Foto reprodução link )

O surgimento do comportamento Leather: Fetiche por quepes, jaquetas e luvas de couro

O comportamento Leather pode ser compreendido historicamente como parte integrante de toda uma Contra-Cultura surgida nos anos 1950 e 1960. Trata-se de uma série de movimentos e propostas de estilo de vida que rompiam com os modelos sociais e de comportamento vigentes até o pós-guerra, e que buscavam o estabelecimento de novos modelos sociais e a aceitação de minorias em contraposição à sociedade conservadora, levando roupas e acessórios de couro para o mundo dos fetiches.

O crescimento e difusão desses novos modelos de comportamento só foi possível porque este período de reconstrução da economia mundial passara a ser um período de florescimento cultural, crescimento e diversificação da indústria e do mercado. Esse fenômeno permitiu às massas criarem novas identidades a partir de sua ideologia, novos bens de consumo disponíveis, serviços e estéticas compartilhadas.

Esse período marca também a explosão e difusão de novas mídias como revistas e periódicos especializados, e espaços diversificados de convivência como bares e clubes noturnos. É nesse contexto que o movimento Leather surge, e cresce quase que ao mesmo tempo nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Holanda e na Alemanha (mais especificamente Berlim).

 

Inspiração para roupas e acessórios

Reprodução (Marlon Brando em cena do filme 'O Selvagem' com quepe e jaqueta de couro.)

Reprodução (Marlon Brando em cena do filme ‘O Selvagem’ com quepe e jaqueta de couro.)

A indústria cultural e de entretenimento foi também fundamental para o fortalecimento da cena e de sua estética.Nos anos 50 um grande ícone para o imaginário de sua fantasia foi o filme “O Selvagem”, com Marlon Brando, no qual a temática gira em torno de jovens motociclistas dando destaques para os quepes de couro.

Vale salientar que a estética do couro utilizada no filme era marrom e não preta. Porém como o filme era preto-e-branco, o preto, enquanto cor agressiva e viril foi a cor que se firmou no imaginário dos espectadores, o que gerou depois toda uma indústria voltada à cena.

Os quepes utilizados pelos Leathermen já eram velhos conhecidos dos motociclistas americanos e europeus e tiveram valor estilístico emprestado dos quepes dos oficiais alemães da época da Guerra. Muitos dos jovens adeptos do couro nos EUA lutaram na Guerra e trouxeram quepes alemães ao retornarem, por terem por eles grande fetiche.

Outros elementos adotados também pelos grupos foram as roupas e os acessórios de cowboys, gladiadores e bikers de todos os tipos, além da estética e comportamentos BDSM.

Dos anos 90 para cá, a cena Leather vem se desenvolvendo esteticamente e crescendo mundialmente. Com o advento da internet, cada vez surgem mais grupos especializados nas redes sociais e novas marcas voltadas ao público de todas as espécies, tipos e gostos que vão se multiplicando pela cena LGBT+.

Um viva à diversidade!

Conheça a Masmorra do Fausto, fonte deste artigo: no link  

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!